LAJE DE SANTOS

Parque Estadual Marinho | Monitor Ambiental | Credenciamento

Para mergulhadores exigentes, que gostam de água limpa e vida marinha rica, a melhor opção no estado de São de Paulo, e na região Sudeste, é sem dúvida a Laje de Santos.
Totalmente diferente de qualquer mergulho que se faça no litoral, encontra-se uma concentração e diversidade impar de animais marinhos.
É com certeza um dos melhores pontos de mergulhos do Litoral brasileiro.
Virou Parque Marinho para poder garantir a conservação de sua biodiversidade biológica.

A ILHA
É uma grande rocha granítica, com aproximadamente 60 milhões de anos, sem terra, areia, arvores e água doce. Tem pouquíssima ou quase nenhuma vegetação, composta por gramínia. Tem 33 metros de altura, 185 de largura e 550 de comprimento. Possui a forma de uma baleia, mais especificamente de uma Cachalote.

FAROL

No seu topo há um farol instalado pela marinha, que é acionado automaticamente à noite por célula fotoelétrica. "A instalação do Pharolete que funciona no sistema Wilson de Canadá data de 30/01/1909 e custou 31.830$020".

LOCALIZAÇÂO
Latitude 24º 19´S e Longitude 46º 11´W. Fica a 23 milhas náuticas (43 quilômetros) da costa, na direção Sul. Emerge no meio da plataforma continental, que é formada por rocha basáltica (mais densa). Fica na Zona Nerídica. A Plataforma Continental tem no Sudeste uma distância da costa de 60 milhas, com profundidades de até 100 metros. Como a Laje fica a aproximadamente um quarto desta distãncia, a profundidade no local fica entre 40 a 50 metros. Após a Plataforma temos o talude onde a profundidade cai para 2.000 a 3.000 metros - Zona Oceânica - indo até a Cordilheira Mesoatlãntica que fica a 1.500 km da costa.

ACESSO
Partindo da capital Paulista viaja-se cerca de 70 km, descendo pela rodovia dos Imigrantes (SP160) ou Anchieta (SP150). Ao chegar ao Litoral ruma-se para a divisa de São Vicente com Praia Grande, onde embarca-se na lancha.
Antigamente, nos anos 80, só haviam traineiras de madeira que faziam o percurso, sendo que o mergulhador ficava de 3 a 4 horas balançando para poder chegar. Eram de 7 a 8 horas de navegação no dia, e isto não desestimulava os aficionados!
Hoje em dia a viagem leva por volta de uma hora e meia, nas lanchas que são credenciadas.
Na viagem passamos perto de grandes navios, que esperam ancorados sua vez de entrar no Porto de Santos, o maior da América Latina.

ANIMAIS na viagem
Pelo caminho pode-se encontrar grandes grupos de golfinhos e até baleias. Também encontramos no inverno Pingüins, normalmente o Pingüim de Magalhães (Sphenicus magellanicus), leões e lobos marinhos, normalmente o lobo-marinho-subantártico (Artocephalus tropicallis).

ANIMAIS sobre a ilha

Sobre a ilha temos aves e insetos. São centenas de aves em um show aéreo de asas. A ave moradora típica, dominante, é o Atobá Marrom (Sula leocogaster). Além dela também nidifica o Trinta-Réis, inclusive é o único local na região em que encontramos ninhos desta ave. Temos o Trinta-Reis Real (Sterna máxima) Trinta-Réis de Bico Vermelho (Sterna hirundinacea) e o Trinta-Réis de Bico Amarelo (Sterna enrygnatha). O Trinta-Réis é muito sensível a presença humana. É comum vermos Gaivotas Amarelas (doméstica), sendo que uma única vez foi encontrado um filhote dela. A Gaivota é predadora de filhotes e ovos. Também avistamos Fragatas, que não pousam na ilha, Albatrozes e outras aves menos comuns.

ANIMAIS no mergulho

Apesar da superfície exposta da Ilha ser árida, em baixo da água há um paraíso de cores e vida. O mais famoso animal da Laje de Santos é Arraia Jamanta, símbolo da Laje. Encontramos normalmente a Manta birostris sendo que há registros de jamantas do gênero Mobula. É fácil ver Jamantas de até 5 metros de envergadura. Fora as cobiçadas Jamantas, também encontramos: Arraia Chita, Arraia Prego, Tartarugas, Moréias e cardumes grandes de diversas espécies de peixes. A vida é riquíssima. Para onde se olha se vê peixes das mais varias cores e tamanhos.

ACAS
No verão a Laje é atingida pela ACAS - Água Central do Atlântico Sul, propiciando o fenômeno do Termoclina.

ANCORAGEM - PORTINHO
Ao chegar, as lanchas amarram em cabos submersos, pois a ancoragem é proibida.
Paramos na face voltada a costa, na região mediana da ilha conhecida como PORTINHO. Este Local costuma ser mais abrigado, proporcionando mergulhos mais tranqüilos, fáceis, e mais cheios de vida.

O MERGULHO
Após uma breve preleção, onde são informadas as restrições no mergulho e informações do Parque, imerge-se em um verdadeiro santuário, água com visibilidade média de 20 metros, temperatura média de 23º e uma fauna marinha riquíssima.
Há mergulhos para praticantes com pouca experiência, que ficam pelos 10 a 15 metros, e para os que procuram mergulho técnico, pois há profundidades de até 40 metros.
Para os experientes há o parcel das âncoras.
Um local que todos gostam de ir é em um naufrágio (Moréia II) que fica acentado no areião entre 20/22 metros de profundidade, uma traineira de aço que foi afundada na Laje pela operadora Centralmar como ponto atrativo em 1992. Não é recomendado entrar no barco, que está se desmanchando por causa da corrosão. Grandes garoupas e badejos são sempre avistados nesta área. Um divertido encontro é com o vaso sanitário!!!
Na ponta Sul ficam diversos rochedos submersos formando piscinas, servindo de abrigo para cardumes de peixes de mar aberto.
No Portinho, as pedras do costão vão à profundidades de 18 a 22 metros, começando uma areia grossa e rica em animais bentônicos.
Fotos do MOREIA II

Também há outro naufrágio, o São Judas Tadeu, que se desmanchou restando apenas alguns vestígios. Seus restos são conhecidos como CAIXARIA.
Foto dos restos do SÃO JUDAS TADEU


PARCEL DAS ÂNCORAS

O Parcel das Âncoras é ligado a Ilha principal. Saindo pelo costão, vai afundando até atingir os 40 metros. Nele encontramos uma enorme quantidades de pequenas e grandes âncoras, daí seu nome.
A maioria das âncoras foram jogadas por traineiras para estabilizar a embarcação nos dias de ressaca. Após a chegada da calmaria, elas ficam travadas nas pedras, e não saem mais. Azar dos barcos, sorte dos mergulhadores que mergulham em um jardim de âncoras, bem bizarro!

RAMPA
Da ponta norte da ilha sai uma rampa de pedra, que começa em na superfície e vai afundando. Do lado da área abrigada ela vai descendo suave e, do lado de fora ela desce abruptamente, não se conseguindo ver o fundo! A rampa é toda recoberta por algas e pequenos organismos, um lindo visual. É necessário extrema cautela neste mergulho, nunca aconselhável a mergulhadores com pouca experiência, pois é freqüente sobre a rampa uma corrente que leva em direção ao alto-mar e, se o mergulhador emergir, vai estar longe da ilha, sem abrigo. Obrigatório neste mergulho levar sinalizador de superfície.

PAREDÃO
Do lado Sul da Ilha, lado voltado ao mar aberto, pode-se fazer um mergulho bem legal. Em dias de mar MUITO calmo, sem correnteza, deixamos os mergulhadores em uma extremidade da ilha, com o lancha funcionando. Assim que caem na água, sempre em grupos, faz-se um passeio ao lado de uma parede vertical que segue da superfície até os 40 metros de profundidade. Em alguns trechos esta inclinação chega a ser negativa! A parede é praticamente lisa, sendo um bom local para observação de grandes pelágicos e cardumes de peixes de passagem. Muito comum é encontrarmos tartarugas.

CALHAUS

Os Rochedos da Laje de Santos, conhecidos por Calhaus ou Calheus, são uma formação rochosa exposta, a cerca de 2 milhas ao sul da Ilha Principal, que possuem um ponto muito especial de mergulho: O TUNEL!!!
O túnel é uma fenda que fica no sentido Leste-Oeste, e é coberto em parte por água, tendo um espaço aéreo no meio. A profundidade em seu interior varia de 4 a 12 metros. Difícil de ser visitado, pois para o mergulho é necessário um mar muito calmo, propicia uma experiência muito bonita.

PARCÉIS DO PARQUE
Na área do Parque há 4 parceis:
Bandolim: O primeiro chegando na Laje, tem sua cabeça a mais ou menos 29 metros de profundidade.
Brilhante: Entre o Bandolim e a Laje, é um cabeço redondo cujo ponto mais raso está mais ou menos 13 metros de profundidade.
Sul: Bem próximo da Laje, é o maior deles. Sua cabeça é a mais rasa, por volta de 6 metros.
Novo: Passando a Laje, mais ou menos na mesma distância que o Brilhante, tem sua cabeça a 24 metros de profundidade. Fica no alinhamento dos Rochedos da Laje (Calhaus).

OUTROS SITES
Visite outros sites que falam da Laje de Santos:
http://www.colegio.unisanta.br/sites/santostur/laje.htm
Há informações sobre pontos turísticos de Santos, incluindo a Laje de Santos.
Aparece a foto da Laje de Santos com a Cachalote operando mergulho.

http://www.vivasantos.com.br
Em Atrações - Passeios há informações sobre pontos turísticos de Santos, incluindo a Laje de Santos.
A Cachalote é citada como Operadora do Parque.

http://www.atlanticobr.com.br
Possui um belo mapa.

http://www.lajeviva.org.br
Site da ONG Laje Viva.